sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Parto


Agora que já passaram 2 meses desde que a princesa nasceu vou relatar tudo o que se passou no dia 17 deJunho de 2009.
Ficamos de estar ás 08:00 na Cuf Descobertas pois na semana anterior tinhamos ido á consulta com a Dra. e ficamos a saber que a pequenina já estava prontinha para nascer. Como já estava bastante grandinha foi nos proposto a indução do parto na semana seguinte ou seja dia 17 e tal como a mamã o papã tambem concordou que assim fosse.
Como é de calcular nessa noite nenhum de nós conseguiu dormir, a ansiedade, o medo, o desejo de a ter nós braços era grande e por isso as malas foram revistas vezes e vezes sem conta.
Bem, passando á manhã seguinte, eu e o papá como seria de prever e embora nenhum dos dois tivesse conseguido dormir chegamos atrasados ao hospital. Fomos teter directamente com a Dra que me esteve a fazer o tão famoso toque ( percebi rapidamente porque é tão conhecido) e depois de ter quase subido pelas paredes a Dra. disse-nos que a princesa tinha voltado a subir um pouco mais e talves fosse mais complicado a indução do parto.
Fiquei arrasada, já tudo planeado, já tinha sonhado e estava completamente convencida que a teria nos braços umas horas depois. A Dra. disse- nos que poderia induzir o parto sendo que haveria sempre a probabilidade de ter que se recorrer a cesariana.
Após termos pensado um pouco resolvemos ter a nossa bebé naquele dia ( sendo que o papá se limitou a concordar com o que eu entendesse).
E lá fomos nós fazer o chek in á recepção. Passado alguns minutos chamaram nos e lá fomos nós para cima com as respectivas malinhas como se fossemos passar uns dias a um hotel.
O quarto era simpatico e já tinhamos ao lado da minha cama o berço onde algumas horas depois estaria a Constancinha. Preparação feita e rapidamente veio uma enfermeira colocar me o soro e fazer me mais umsa vez o famoso toque.
Ainda nem sabia o que se iria passar e pensava que já não iria aguentar mais dores. Os toques são realmente insuportaveis.
Colocaram me o gel e fui sendo vigiada. Até ás 14:00 não tive qualquer dor, sentia me bem, e conversava com o pai que me ia dando todos os miminhos que precisava. Apartir das 14:00 começei a sentir as primeiras dores, foram aumentando progressivamente tal como nos tinham explicado nas aulas pré- parto mas não iam e vinham ou seja eram sempre continuas.
Não vou mentir e dizer que não doeu porque doeu mesmo mas sinceramente pensava que seriam piores, Talves o facto de ter lido dezenas de experiências de outras mães me ter preparado para o pior...
Pelas 17:00 e já sem forças para aguentar aquelas dores terriveis pedi a epidural, e logo apareçeu o Dr. Lima ( um Dr. já com uma certa idade mas super bem disposto ) que entrava no quarto a dizer
- a senhora pede o Dr. Lima satisfaz.. pois é Deus no Céu e Dr. Lima na Terra
Arrancou me logo um sorriso a mim e ao pai que rapidamente começou a ajudar o Dr. e a tentar perceber tudo aquilo que se iria passar. As dores rapidamente passaram e eu pude viver aqueles momentos com toda a tranquilidade deste mundo.
Passaram algumas horas e tal como a Dra. tinha indicado se a pequenina não nascesse teriamos que ir para cesariana, sendo que só cheguei aos 3 dedos e meio de dilatação ás 19:00 concordamos em ir para o bloco de partos.
Ali, e só ali o medo apoderou se de mim, sabia que o pai não podia assistir se fosse cesariana mas sempre pensei que ele desse a volta á situação mas quando a enfermeira diz que não concorda com que ele assista e ele me larga a mão e diz para eu ser forte senti me completamente apavorada.
Desatei a chorar pois para alem de ser muito importante para mim que ele estivesse presente sabia que para ele era um sonho de sempre.
Quando uma enfermeira já dentro do bloco de pergunta porque estou a chorar digo lhe que o queria a meu lado sendo que ela rapidamente me responde
- Mas ele está a preparar se e já vai entrar
Tudo para mim ficou perfeito, ia te-lo a meu lado e ambos iriamos conhçer a nossa filha ao mesmo tempo.
Depois das constantes perguntas ao pai
- Então falta muito? então já se ve alguma coisa? O que está a acontecer?
Nasceu a nossa Princesa ás 19:38, tudo aquilo que eu imaginava era pouco para tudo o que senti naquele momento- o momento que a ouvi chorar pela primeira vez, o momento que a colocaram no meu peito, que a vi, que senti a pele dela a tocar na minha, o seu cheiro, tudo aquilo era mais do que alguma vez poderia imaginar. Amo a mais que tudo nesta vida, um sentimento sem comparação e que se me tivessem dito que existia eu não teria acreditado. Um amor incondicional que me faz afirmar que valeu tudo a pena, as dores, o cansaço, as noites sem dormir, tudo valeu a pena para ter com ela aqueles momentos de pura complicidade, que nos faz dar a vida por aquele ser tão pequeno, tão fragil, tão nosso...
No final disto tudo só posso agradecer ao meu querido que esteve todos os segundos a meu lado, e que como sempre me conseguiu transmitir toda a calma e todo o apoio que eu precisava,posso mesmo afirmar que sem ele não teria conseguido


2 comentários:

  1. Não sabia que os pais podiam assistir a cesarianas, ou percebi mal?

    ResponderEliminar
  2. Parabéns pelo parto, pela vossa princesa... e por já teres contado como foi a tua história. O André faz hoje 1 mês e ainda não actualizei no blog, acho que tb vou chegar aos 2 meses.
    Acho que fizeste bem em criar o blog, vais ver que é muito bom partilhar experiências e vais ter outras mamãs que te irão ajudar quando precisares de alguma opinião. Eu já cá estou, agora ando com a história das cólicas :~ bj

    ResponderEliminar